Quando a terra foge

Frederico Lobo
Co-produção com TERRATREME
  • Duração : 30' |
  • Formato : 1.77 |
  • Suporte de captação : 16mm
Sinopse

Na raia transmontana o início do Outono, com os dias cada vez mais curtos, marca o tempo de recolher as vacas deixadas a monte durante todo o Verão. No coração da montanha cruzam-se vários mundos. Entre o nevoeiro, num pleno labirinto do tempo, onde máquinas sondam as profundezas geológicas da montanha, um pastor vai em busca de uma vaca tresmalhada e a infância encontra o seu regresso. A Serra transforma-se, o ciclo continua.

Frederico Lobo

Nasceu em 1981 no Porto. Em 2006 frequentou o curso de documentário Ateliers Varan na Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa, onde realizou a curta-metragem Entre-Tempos, vencedora do Prémio Jovem Cineasta no Festival de Curtas Metragens de Vila do Conde. Desde então trabalha em cinema, tendo realizado em 2008 a longa-metragem Bab Sebta (premiado no Fid Marseille, Doc Lisboa entre outros festivais), co-dirigido com Pedro Pinho e a curta-metragem “Zone d’attente # 0”. Em 2014 concluiu Revolução Industrial (estreada no festival Visions du Reel), uma nova longa-metragem, em co-realização com Tiago Hespanha. Em 2017 fez o mestrado em Cinematografia na ESCAC de Barcelona. Como diretor de fotografia tem trabalhado com Von Calhau, João Vladimiro, João Calixto, Angélica Salvi, André Gil Mata, Callisto McNullty, David Ferreira, Raúl Maia, entre outros realizadores e artistas. Neste momento encontra-se a desenvolver o seu próximo filme, Quando a terra foge. Em 2020, juntamente com André Gil Mata, João Vladimiro e Luís Palito, fundou a cooperativa de cinema Rua Escura CRL.

ICA
Fundação Calouste Gulbenkian
Direcção Regional da Cultura do Norte
Fundo de Apoio ao Cinema
Indielisboa
Câmara Municipal de Montalegre